congressoabptgic@riveirario.com.br    |   

Programação Científica

PROGRAMAÇÃO PRELIMINAR

Clique no dia desejado para ver a programação.

SALA 1 | CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM PTGI E COLPOSCOPIA | 08:30 – 17:45  

Coordenação: Vera Fonseca, Marcia Cardial, Adriana Campaner e Nilma Antas

08:30 – 10:00 | MÓDULO 1: RASTREIO DO CÂNCER DE COLO UTERINO

08:30 – 08:45 | Citologia oncótica: novas técnicas e interpretação dos esfregaços

08:45 – 09:00 | Rastreio do câncer de colo uterino: diretrizes do Ministério da Saúde

09:00 – 09:15 | Métodos moleculares para o diagnóstico de HPV

09:15 – 09:30 | Vacinas contra HPV: como estamos

09:30 – 10:00 | Discussão

10:00 – 10:30 | Intervalo


10:30 – 12:00 | MÓDULO 2: COLPOSCOPIA

10:30 – 10:45 | Instrumental, técnicas de biópsia e classificação colposcópica

10:45 – 11:00 | Achados colposcópicos normais e anormais

11:00 – 11:15 | Achados colposcópicos sugestivos de invasao e miscelânea

11:15 – 11:30 | NIVA e NIA como diagnosticar e tratar

11:30 – 12:00 | Discussão

12:00 – 14:00 | Almoço


14:00 – 15:30 | MÓDULO 3: INFECÇÃO PELO HPV

14:00 – 14:15 | HPV e a importância dos cofatores na carcinogênese

14:15 – 14:30 | Infecção do HPV no ciclo grávido puerperal, no climatério e na imunossupressão

14:30 – 14:45 | NIC diagnóstico e tratamento

14:45 – 15:00 | Doença glandular do colo uterino como diagnosticar e conduzir

15:00 – 15:30 | Discussão

15:30 – 16:00 | Intervalo


16:00 – 17:30 | MÓDULO 4: INFECÇÕES E PATOLOGIA VULVAR 

16:00 – 16:15 | NIV diagnóstico e tratamento

16:15 – 16:30 | Dermatoses vulvares

16:30 – 16:45 | Úlceras genitais infecciosas: abordagem diagnostica

16:45 – 17:00 | Úlceras genitais não infecciosas: abordagem diagnostica

17:00 – 17:15 | Corrimentos vaginais infecciosos

17:15 – 17:30 | Endocervicites

17:30 – 17:45 | Discussão


SALA 2 | CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM LASER | 
08:30 – 12:00 

Coordenação: Neila Maria de Gois Speck

08:30 – 08:50 | Princípios físicos da cirurgia a laser e normas de segurança

08:50 – 09:10 | Uso do laser em PTGI

09:10 – 09:30 | Laser fracionado na Síndrome genito-urinária

09:30 – 10:00 | Discussão

10:00 – 10:30 | Intervalo

10:30 – 12:00 | Curso Teórico Prático em Moldes


SALA 2 | CURSO DE ATUALIZAÇÃO FRAXX (RADIOFREQUÊNCIA FRACIONADA MICROABLATIVA) | 14
:00 – 17:30 

Coordenadora: Marcia Farina Kamilos

14:00 – 14:30 | Princípios biofísicos da radiofrequência (linear continua, pulsada e fracionada)

14:30 – 15:00 | Radiofrequência contínua e pulsada: aplicações genitais

15:00 – 15:30 | FRAXX: Radiofrequência Fracionada microablativa vulvar e vaginal

15:30 – 16:00 | Intervalo

16:00 – 16:30 | FRAXX: experiência e resultados na Uroginecologia

16:30 – 17:00 | FRAXX: resultados parciais de estudo randomizado na atrofia vulvovaginal

17:00 – 17:30 | Prática em Moldes – Perguntas e respostas


SALA 3 | CURSO DE PREVENÇÃO DE CÂNCER ANOGENITAL: HPV/NIA/DERMATOSES |  08:30 – 12:00 

Coordenadora: Claudia Marcia de Azevedo Jacyntho

08:30 – 08:45 | Técnicas de coleta, colposcopia e biópsias anais

08:45 – 09:00 | Indicações da colposcopia anal.

09:00 – 09:15 | Condilomas anogenitais: Como trato?

09:15 – 09:30 | Casos clínicos na NIA / HPV

09:30 – 10:00 | Discussão

10:00 – 10:30 | Intervalo

10:30 – 10:45 | Formas de tratamento da NIA

10:45 – 11:00 | Uso de infra-vermelho e podofilina pela proctologia – casos clínicos

11:00 – 11:15 | Duas vias carcinogênicas perianais (líquen escleroso e HPV) – imagens e tto

11:15 – 11:30 | Coinfecções perianais e anais mais frequentes: herpes e cândidas

11:30 – 12:00 | Discussão


SALA 3 | CURSO DE PATOLOGIA VULVAR (DISCUSSÃO DE CASOS CLÍNICOS) | 14
:00 – 17:30 

Coordenadora: Angelina Maia

14:00 – 14:10 | Abertura: apresentação dos professores

14:10 – 14:35 | Casos de Líquen Simples Crônico: cuidar da ansiedade e do comportamento para não recidivar

14:35 – 15:00 | Casos de Líquen Escleroso: promover o conforto e prevenir o câncer vulvar

15:00 – 15:25 | Casos de Líquen Plano: acolhimento, apoio e perseverança

15:25 – 15:50 | Casos de Infecções Vulvares: diagnóstico diferencial e tratamento

15:50 – 16:15 | Casos de Doença de Paget Vulvar: o melhor é fazer o disgnóstico precoce

16:15 – 16:30 | Intervalo

16:30 – 16:55 | Casos de LIE-Baixo Grau Vulvar: cuidar na medida certa

16:55 – 17:20 | Casos de LIE-Alto Grau Vulvar: Tratar na medida certa

17:20 – 17:30 | Mensagens finais

 

SALA 4 | CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM CIRURGIA DE ALTA FREQUÊNCIA (CAF) | 08:30 – 17:30 

Coordenadora: Maria Jose de Camargo

08:30 – 08:45 | Princípios básicos da eletrocirurgia como técnica terapêutica

08:45 – 09:00 | Eletrocirurgia de alta frequência. Benefícios x Riscos

09:00 – 09:15 | Tipos de excisões eletrocirúrgicas nas doença cervical pré-maligna

09:15 – 09:30 | Cuidados com a peça cirúrgica

09:30 – 10:00 | Discussão

10:00 – 10:30 | Intervalo

10:30 – 10:45 | Técnicas de excisão eletrocirúrgica cervical – passo a passo

10:45 – 11:00 | Complicações per e pós operatórias

11:00 – 11:15 | Uso da eletrocirurgia nas doenças vaginais: quando e como?

11:15 – 11:30 | Uso da eletrocirurgia nas doenças vulvares: quando e como?

11:30 – 12:00 | Discussão

12:00 – 14:00 | Almoço

14:00 – 17:30 | Parte Prática

SALA 1 |

08:30 – 10:00 | Câncer do colo uterino-rastreio 

08:30 – 08:45 | Citologia em meio líquido x convencional

08:45 – 09:00 | Vantagens e desvantagens de iniciar o rastreio antes dos 25 anos e continuar após os 64 anos

09:00 – 09:15 | Citologia somente com epitélio escamoso: qual o valor?

09:15 – 09:30 | PCR ou captura híbrida para HPV: existe diferença no manejo?

09:30 – 09:35 | Tema Livre

09:30 – 10:00 | Discussão

10:00 – 10:30 | Conferência: O valor da genotipagem do HPV: Diferenças na triagem de acordo com o tipo viral?

10:30 – 11:00 | Intervalo

11:00 – 12:30 | Manejo da lesão de baixo grau do colo uterino

11:00 – 11:15 | O teste de HPV tem valor?

11:15 – 11:30 | Aplicabilidade do p16/ki67

11:30 – 11:45 | Persistência de lesão: Como e até quando seguir?

11:45 – 12:00 | Quando é permitido o tratamento destrutivo?

12:00 – 12:05 | Tema Livre

12:05 – 12:30 | Discussão

12:30 – 13:00 | Conferência: como diagnosticar e tratar a vaginite aeróbica?

13:00 – 14:00 | Almoço

14:30 – 15:15 | Síndrome Genito-Urinária da pós-menopausa (SGUM)

14:00 – 14:15 | Fisiopatologia da SGUM

14:15 – 14:30 | Hidratantes, lubrificantes e hormonioterapia

14:30 – 14:45 | Laser fracionado

14:45 – 15:00 | Radiofrequência fracionada

15:00 – 15:15 | Discussão

15:15 – 15:45 | Conferência: laser fracionado na síndrome genito-urinária da pós-menopausa – mecanismo de ação, técnica de aplicação e complicações 

15:45 – 16:15 | Intervalo

16:15 – 18:00 | Desafios em patologia vulvar

16:15 – 16:30 | Terminologia da ISSVD 2015: análise crítica

16:30 – 16:45 | Lesão de alto grau de vulva e NIV diferenciada: o potencial oncogênico é o mesmo?

16:45 – 17:00 | Lesão de alto grau: quando indicar tratamento medicamentoso?

17:00 – 17:15 | Líquen escleroso e prurido persistente: como conduzir?

17:15 – 17:30 | Lesões pigmentadas de vulva: como distinguir?

17:30 – 17:45 | Corticosteróides tópicos: qual a diferença entre eles e tempo de uso

17:45 – 18:00 | Discussão

19:00 | Abertura oficial


SALA 2 |

08:30 – 10:00 | Manejo da lesão de alto grau do colo uterino

08:30 – 08:45 | Como conduzir a NIC 2

08:45 – 09:00 | Seguimento pós-tratamento: valor da colposcopia

09:00 – 09:15 | Citologia negativa e HPV oncogêncio persistente após tratamento: risco de lesão de alto grau?

09:15 – 09:30 | Margens comprometidas: significa falha no tratamento?

09:30 – 09:35 | Tema Livre

09:30 – 10:00 | Discussão

10:00 – 10:30 | Conferência: a importância do microbioma vaginal com as vaginites/vaginoses e infecção por HPV

10:30 – 11:00 | Intervalo

11:30 – 12:30 | O uso da terminologia em PTGI

11:00 – 11:15 | Nomenclatura LAST: O que é?

11:15 – 11:30 | A classificação da ISSVD facilitando a interpretação das lesões vulvares

11:30 – 11:45 | Colposcopia: nomenclatura da IFCPC e aplicabilidade

11:45 – 12:00 | Vaginoscopia: nomenclatura da IFCPC e aplicabilidade

12:00 – 12:05 | Tema Livre

12:05 – 12:30 | Discussão

12:30 – 14:00 | Almoço

14:00 – 15:30 | Desafios nas doenças vulvares

14:00 – 14:15 | Vulvodínea

14:15 – 14:30 | Úlceras não infecciosas

14:30 – 14:45 | Condilomas recidivantes

14:45 – 15:00 | Prurido persistente

15:00 – 15:15 | Fissura vulvar: diagnóstico e formas de abordagem

15:15 – 15:30 | Discussão

15:30 – 16:00 | Conferência: O impacto da vacina HPV na prevenção das doenças HPV-induzidas na vagina e vulva

16:00 – 16:30 | Intervalo

16:30 – 18:00 | Desafios no manejo da lesão de alto grau do colo uterino

16:30 – 16:45 | Como abordar a ZT3: LLETZ? SWETZ? Cone clássico?

16:45 – 17:00 | Como abordar na gravidez?

17:00 – 17:15 | Efeitos do tratamento eletrocirúrgico sobre o futuro reprodutivo

17:15 – 17:30 | Como prevenir e abordar a estenose de canal após o tratamento?

17:30 – 17:35 | Tema Livre

17:35 – 18:00 | Discussão


SALA 3 |Prova de Título – 08:00

SALA 1 | 

08:30 – 10:00 | Carcinoma Microinvasor do Colo Uterino

08:30 – 08:45 | Mudanças no estadiamento da FIGO

08:45 – 09:00 | Conduta no carcinoma escamoso microinvasor

09:00 – 09:15 | Prognóstico nos microcarcinomas: Adeno x Escamoso

09:15 – 09:30 | Margens comprometidas com lesão de alto grau: como manejar?

09:30 – 10:35 | Tema Livre

09:35 – 10:00 | Discussão

10:00 – 10:30 | Conferência: Indicações da genotipagem do HPV no rastreio do câncer de colo uterino 

10:30 – 11:00 | Intervalo

11:00 – 12:30 | Qual a conduta diante de citologia revelando: 

11:00 – 11:15 | Células endometriais na citologia oncótica

11:15 – 11:30 | Ausência de células endocervicais no esfregaço

11:30 – 11:45 | ASCUS e lesão de baixo grau na paciente hipoestrogenizada

11:45 – 12:00 | Citologia insatisfatória

12:00 – 12:05 | Tema livre

12:05 – 12:30 | Discussão

12:00 – 14:00 | Almoço


14:00 – 15:30 | Lesão glandular: desafio na abordagem

14:00 – 14:15 | AGC favorecendo neoplasia com colposcopia normal: conização? Curetagem endocervical? Repetir a citologia?

14:15 – 14:30 | Conização com lâmina frio ou eletrocirurgia?

14:30 – 14:45 | Quando indicar histerectomia no adenocarcinoma ‘in situ’?

14:45 – 15:00 | Seguimento pós-tratamento conservador- como conduzir: Citologia? Curetagem endocervical? Teste do HPV?

15:00 – 15:05 | Tema livre

15:05 – 15:30 | Discussão

15:30 – 16:00 | Conferência: Detecção do HPV após “clearance” da infecção viral na ausência de nova exposição sexual (Latência? Co-Infecção)

16:00 – 16:30 | Intervalo

16:30 – 18:00 | O papel da citologia oncótica nas seguintes situações:

16:30 – 16:45 | Desempenho da citologia como triagem nas mulhres HPV-positivas

16:45 – 17:00 | Cotesting x teste do HPV isolado: A citologia tem agregado valor no rastreio?

17:00 – 17:15 | O papel do p16 como método de triagem diante de citologia alterada

17:15 – 17:30 | Mulheres vacinadas x não-vacinadas

17:30 – 17:35 | Tema livre

17:35 – 18:00 | Discussão


SALA 2 | 

08:30 – 10:00 | Vacina HPV

08:30 – 08:45 | Cobertura vacinal no Brasil

08:45 – 09:00 | Esquema de 2 doses: aonde? Por quê? E para quem?

09:00 – 09:15 | Vacina pós-tratamento: tem valor?

09:15 – 09:30 | Vacina nonavalente: o que mostram as evidências?

09:30 – 09:35 | Tema Livre

09:35 – 10:00 | Discussão


SALA 2 |

10:00 – 10:30 | Conferência: como diagnosticar e tratar as lesões intra-epiteliais escamosas de vagina?

14:30 – 15:00 | Intervalo

11:00 – 12:30 | Atipias de células escamosas cervicais 

11:00 – 11:15 | Significância Clínica de ASC-US e ASC-H

11:15 – 11:30 | ASC-US: A repetição da citologia aumenta a acurácia no diagnóstico?

11:30 – 11:30 | Valor do teste do HPV no ASC-US

11:30 – 11:45 | ASC-H com colposcopia normal: o que fazer?

11:45 – 12:00 | Tema Livre

12:05 – 12:30 | Discussão

12:30 – 14:00 | Almoço

14:00 – 15:30 | Onde estamos nas infecções genitais

14:00 – 14:15 | Sífilis

14:15 – 14:30 | Clamídia

14:30 – 14:45 | Gonorreia

14:45 – 15:00 | Herpes genital

15:00 – 15:05 | Tema livre

15:05 – 15:30 | Discussão

15:30 – 16:00 | Conferência: Visana Comunicação

16:00 – 16:30 | Intervalo

16:30 – 18:00 | Imunossupressão em PTGI 

16:30 – 16:45 | Vacina HPV: o limite de idade é adequado para todos os tipos de imnunosupressão?

16:45 – 17:00 | Rastreio e abordagem nas HIV+

17:00 – 17:15 | Lesões HPV-induzidas persistentes/recorrentes: como manejar?

17:15 – 17:30 | Doença enxerto-hospedeiro no TGI: diagnóstico e conduta

17:30 – 17:35 | Tema Livre

17:35 – 18:00 | Discussão


SALA 2 |

08:30 – 08:40 | Introdução e objectivos (Introduction and Objectives) Mario Preti, Claudia Marchitelli e Isabel do Val

08:40 – 09:00 | Pré-teste (Pre-test) Pedro Vieira Baptista

Sessão 1 | A abordagem inicial (Session 1 – The Initial Approach) 

09:00 – 09:20 | A vulva normal (The normal vulva) Gutemberg Almeida

09:20 – 09:40 | Como examinar adequadamente a vulva (How to adequately examine the vulva) Mario Preti

09:40 – 10:00 | Como utilizar de forma eficaz as classificações da ISSDV (How to effectively use the ISSVD classifications) Isabel do Val

10:00 – 10:20 | Quando são necessárias biópsias vulvares? (When are vulvar biopsies needed?) Isabel do Val

10:20 – 10:40 | Discussão (Discussion)

10:40 – 11:00 | Coffee Break

Sessão 2 | As doenças vulvares mais comuns e tratamentos (Session 2 – The most common vulvar diseases and treatments)

11:00 – 11:20 | Sintomas vulvares: sua translação clínica (Vulvar symptoms: their clinical translation) Mario Preti

11:20 – 11:40 | Os líquens: o que são (The lichens: what they are) Claudia Marchitelli

11:40 – 12:00 | Úlceras: o que fazer? (Ulcers: what to do?) Gutemberg Almeida

12:00 – 12:20 | Vulvodinia: um problema em evolução (Vulvodynia: an evolving problem) Isabel do Val

12:20 – 12:40 | Discussão (Discussion)

12:40 – 13:40 | Coffee Break

Sessão 3 | As doenças vaginais mais comuns (Session 2 – The most common vaginals diseases)

13:40 – 14:00 | Candidoses e seus imitadores (Candidosis and its mimics) Pedro Vieira Baptista

14:00 – 14:20 | Vaginose bacteriana (Bacterial vaginosis) Susana Aidé

14:20 – 14:40 | Vaginites inflamatórias (Inflammatory vaginitis) Claudia Jacyntho

14:40 – 15:00 | Atrofia vaginal & vaginite atrófica (Vaginal atrophy & atrophic vaginitis) Pedro Vieira Jacyntho

15:00 – 15:20 | Discussão (Discussion)

15:20 – 15:40 | Coffee Break

15:40 – 16:10 | Conferência: A vulva na era digital (Conference: The vulva in the digital era) Claudia Marchitelli

Sessão 4 | As doenças vaginais mais comuns (Session 2 – The most common vaginals diseases)

16:10 – 16:20 | Impacto das vacinas na infecção vulvar e vaginal por HPV (Impact of vaccines on vulvar and vaginal HPV infection) Pedro Vieira Baptista

16:20 – 16:40 | Orientação de casos de condilomas/LSIL vulvar (Management of warts/vulvar LSIL) Claudia Marchitelli

16:40 – 17:00 | As vias para o desenvolvimento de cancro da vulva (The pathways for vulvar cancer) Mario Preti

17:00 – 17:20 | Discussão (Discussion)

17:20 – 17:40 | Pós-teste (Post – test)

SALA 1 |

08:30 – 10:00 | Desafios nas vaginites complicadas

08:30 – 08:45 | Candidíase de repetição

08:45 – 09:00 | Vaginose bacteriana recorrente

09:00 – 09:15 | Infecção por micoplasma e ureaplasma

09:15 – 09:30 | Estreptococo beta hemolítico – Estafilococos

09:30 – 09:35 | Tema Livre

09:30 – 10:00 | Discussão

10:00 – 10:30 | Conferência: Uso e limites dos procedimentos de estética vulvar: Visão da ISSVD

10:30 – 11:00 | Intervalo

11:00 – 12:30 | Mulheres homoafetivas, transgêneros e/ou TGI

11:00 – 11:15 | Rastreio do câncer de colo uterino e de infecções genitais nas homoafetivas

11:15 – 11:30 | Rastreio do câncer de colo uterino/anal e de infecções genitais nos transgêneros

11:30 – 11:45 | Prevenção com a vacina HPV: qual a realidade?

11:45 – 12:00 | Como abordar a sexualidade?

12:00 – 12:05 | Tema Livre

12:05 – 12:30 | Discussão

*Programação sujeita a alterações.